10 coisas para considerar antes de começar uma parceria em eventos

Antes de você iniciar qualquer parceria, você precisa considerar essas dicas e estar atento aos alertas para ter certeza que a proposta é certa para você.

Nesse novo artigo trazido do Event Manager Blog, vamos dar dicas sobre parcerias em produções de eventos.
Como você sabe que o proposto é o melhor para ambos os lados? Como sabe que você não está sendo passado para trás? O que propor quando buscar uma parceira?
Olha só:

Uma parceria no setor de eventos pode ser bem lucrativa para ambos os lados e criar uma maneira única de colaboração e trazer o melhor, tanto das marcas quando de negócios, para a experiência do evento. Entretanto, parcerias não pode ser levadas “nas coxas”, pois você está compartilhando sua marca, seu nome, sua reputação e seu evento com terceiros, então assegure-se de fazer as melhores escolhas.
Aqui vão algumas coisas para considerar antes de realizar uma parceria:

Parcerias precisa ser algo para se completar

1. Parceria vs Patrocínio
Existe um desentendimento comum entre parcerias e patrocínios, entendendo ambos como a mesma coisa. Enquanto eles são parecidos, existe uma diferença: a criatividade que o parceiro traz para a organização.
Um patrocinador irá entregar incentivos financeiros para alocar sua marca ou produtos em seu evento para aumentar seu alcance. Por outro lado, um parceiro irá se envolver mais no planejamento, buscando ter uma voz mais ativa no evento em si, assumindo metade do evento para si (geralmente), e também participando em metade dos lucros também!

2. Conheça-os
Decidir realizar uma parceria é animador e pode fazer você ir de cabeça nela, porém é parecido com um casamento: é importante se conhecer bem antes do compromisso. Se ambos terão muito controle criativo, você precisa identificar qualquer hábito irritante que podem matar a produtividade, ou colocá-lo de fora. Uma parceria precisa de compromisso, mesmo que demonstre ser complicado tomar decisões juntos. Não é tudo sobre acordos comerciais que você precisa considerar quando for escolher um parceiro. Vocês passarão muitas horas juntos, portanto é importante que vocês consigam ter uma ligação. Não importa os benefícios que o seu parceiro pode trazer se você não consegue permanecer junto com ele. Não é benéfico para sua parceria, nem para sua saúde.

3. Alinhe suas mensagens e seus valores
Antes de entrar em uma parceria, você precisa saber seus objetivos e valores. Frases mal formuladas e avisos preguiçosos podem confundir seus participantes e transformar a mensagem em algo muito difícil de entender, portanto é importante que vocês discutam e alinhem tudo. Alinhar valores também é importante, especialmente se os parceiros estarão cuidando de todo atendimento.

4. Tudo bem se quiser sair
Igual a um relacionamento, se não está tudo bem, não force. Não se sinta pressionado a permanecer na parceria porque isso é benéfico para ambos.

5. Esteja preparado para contratos lentos
Uma parceria, especialmente com eventos e negócios precisam ser planejados cuidadosamente e precisam sempre ter tudo escrito. Não importa quão bem vocês se conhecem e confiam em cada um, é essencial a prática de usar contratos formalizados, protegendo todas as partes em qualquer parceria. Contratos podem ajudar a acertar não apenas os papéis e contribuições de cada um, mas também ajudam a acertar os mínimos detalhes de toda a parceria. Você deve, inclusive, considerar adicionar cláusulas de saída.
Se eu parceiro em potencial não quer sentar e determinar essas coisas, ele não é o certo para você. Eventos profissionais precisam lidar com uma alta carga de trabalho, então se seu parceiro não pode lidar com isso agora, ele não poderia lidar com isso depois.

6. Onde estão os status dele
Parcerias precisam ser benéfico para ambos os lados. Tenha certeza de ter estudado a demografia, o alcance, as figuras de venda, os status de midias sociais e qualquer outra informação que você ache necessária. Não aceite apenas a palavra dele sobre como ele trabalha e funciona, simplesmente por ter te dado um bom pitch de sua ideia.
É importante notar que status não são tudo, além de que eles podem trazer outras variáveis para a mesa. Suas razões para essa parceria podem ser bem diferentes e talvez ele traga mais capital e recursos
Apenas fique atento e tenha certeza de que ele está oferecendo o que ele pode fazer, e não vendendo ideias vazias.

7. Evite parcerias com contatos sociais
Isso pode te por numa posição complicada, especialmente se vocês se conhecem há bastante tempo. Entretanto, enquanto for um mar de rosas, combinar trabalho com interação pessoal por uma tensão no seu relacionamento. Infelizmente, simplesmente porque vocês são amigos não faz com que seja uma boa pessoa para você trabalhar. E mais: se a parceria for por ruim, levará a amizade junto.

8. Faça-os questionar
A melhor maneira de dizer se eles estão interessados nas oportunidades tanto quanto você é através da quantidade de perguntas que eles fazem e as informações que eles procuram. Se você achar que eles estão procurando seu negócio e perguntando sobre eventos anteriores, está no caminho certo!
Se eles não parecem interessados ou até mesmo aceitam qualquer coisa e não fazem questões, isso é um mal sinal.

9. Não é tudo sobre dinheiro
Jessie J estava certa. Por mais que finanças são uma parte importante em qualquer evento ou negócio, não escolha um parceiro apenas porque você não pode contratá-lo. Isso não apenas pode levar a um ressentimento e te fazer entregar mais por um serviço que você poderia simplesmente comprar/alugar. Existem outras oportunidades para trabalhar junto sem criar uma parceria. Se seus preços forem altos demais, tente negociar ou oferecer um patrocínio para eles.

Se você fizer tudo pelo dinheiro, as vezes pode acabar queimando-o

10. Acredite em si mesmo
Por último, isso pode soar meio clichê mas, se der certo, dá certo. Acredito no seu potencial e na sua intuição. Se acredita que a parceria parece certa então coloque isso como meta e faça acontecer.

Parcerias podem ser muito poderosas, porém sendo tanto para curto ou longo prazo, elas são um grande negócio e precisam ser tratadas como tal.
Usando esses sinais e considerações como guia você deve ser capaz de determinar se deve ou não entrar em uma parceria ou o momento para sair de uma.

Você já teve alguma parceria de sucesso ou até mesmo de fracasso?
Fale pra gente!

8 Dicas no Planejamento de Eventos Gamer

Eventos Gamer são sobre duas coisas: tecnologia e comunidade. Você precisa maximizar ambos para conseguir ter sucesso.
Aqui você verá como.

Olá pessoal!
Estamos atrasados em nossos artigos para ajudar você, produtor de evento, a ser ainda melhor no que faz. Mas é um atraso bom!
Estamos a todo vapor no desenvolvimento de nossa plataforma. Realizamos um teste massivo na Campus Party Brasil 10, e estamos bem felizes com o resultado.
Faremos um post contando como foi essa experiência em breve!
Agora, vamos ao post, trazido novamente do site Event Manager Blog, um portal que todo produtor de evento deveria ficar ligado!
(Traduzido livremente por nós)

Todo o mundo é um jogo e todos os homens e mulheres são apenas jogadores.
Isso é basicamente o que Shakespeare escreveu há 400 anos atrás e certamente é verdade hoje. E games estão tão quentes quanto realidade virtual. Mas, como você pode capitalizar esses jogos e criar eventos para isso? Aqui vão algumas dicas:

 

Como jogar tem mudado
Primeiro, oferecer um “evento gamer” não é uma noite num cassino ou um campeonato de poker. Para esse artigo, quando nos referirmos aos games e seus eventos, significa video games interativos que possuem uma cultura de seguidores.
De volta aos anos 80, uma convenção gamer mostrou apenas os maiores competidores dos mais diversos jogos arcade. Hoje, por causa dessa conexão de todos com a internet, jogar é mais um estilo de vida do que um desafio ocasional. Existem Youtubers que ganham a vida dando dicas de como ser melhor e ter mais sucesso no jogo e tentando novas coisas para milhões de pe. ssoas (mesmo) que estão assistindo cada movimento dele.
Os eventos de games hoje atraem jogadores habilidosos porque muitos jogos possuem trabalho em equipe e histórias incríveis, e as pessoas procuram maneiras de trazer o jogo para fora das telas.
A base de seu evento pode ser um “campeonato de video game” (por favor, não chame disso. Hoje os jogos são muito mais sobre comunidades), porém o que você realmente estará fazendo, na maioria das vezes, é um universo alternativo para seus participantes.

O que vai em um evento gamer
Existem dois componentes “major” (acostume-se com esse termo) para eventos gamer: o atual nível competitivo e a comunidade que você está construindo. Não deixe nenhum de lado. Desde que a maioria dos gamers em alto nível realizam conexões ao redor do mundo, muitos eventos gamer irão trazer audiência global. Mesmo pessoas que não são envolvidas em competições de alto nível irão assistir e se conectar com outros.

 

Tecnologia é sua celebridade
Tecnologia é o que irá trazer seu público. Desde que uma grande parte de seus participantes irão apenas assistir a competição, você precisa criar uma experiência que seja engajável. Eles não ficarão satisfeitos apenas ficando lado a lado com outra pessoa assistindo ao jogo.

Interação é absolutamente necessário
Mantendo a tecnologia como um atrativo do evento, você precisa descobrir maneiras de criar algo sem depender dela, e uma dessas maneiras é realizar a decoração com elementos do jogo, criando uma imersão offline. Você não quer seu hall apenas decorado com o logo do jogo. Você precisa criar um meio dos participantes viverem o jogo no mundo real, pois é isso que eles estão procurando.
Alguns eventos usam pulseiras com LED eletrônico com interações ao longo do evento, que causa uma interação com o mundo real.

Experiência e Escape
Seus participantes não estão vindo por estarem entediados.
Mais do que qualquer outro tipo de evento, talvez, eles querem MUITA experiência. Seu desejo é que o jogo que eles conhecem e amam seja bem-vindo ao mundo real, numa enorme escala. E você precisa criar essa experiência e convidá-los para escapar do mundo real para esse mundo que você está ajudando a criar, como uma versão de Alice escapando pelo buraco de coelho.
Tudo o que não for parte do jogo irá ser “normal demais”. Sua equipe vestida de calças brancas e sapatos pretos pode não ser o que eles querem, mas, pode ter certeza, se sua equipe estiver vestida como se houvessem saído do jogo, será surreal para eles.

 

Marketing deve ser de Outro Planeta
Isso não é o tipod e festa que você irá mandar um convite em papel. Seu marketing para o evento deverá ser baseado no jogo que você está promovendo. Landing pages precisam ter efeitos legais. Seu marketing é a primeira experiência que eles terão com seu evento, então entregue um gostinho do que eles podem esperar.

Influencer será a chave
Como mencionado antes, é um evento sobre comunidade. Isso faz seu marketing mais fácil porque o boca-a-boca possui muita influência no universo gamer. Traga influenciadores cedo no projeto. Descubra quais são os maiores nomes no jogo. Dê a eles cupons de desconto ou incentive-os a trazer seus seguidores.

Eu já participei de um treinamento de influencers!

 

Construa a Comunidade
Eventos de games são perfeitos para usar uma comunidade online porque gamers apreciam a camaradagem e falam sobre a experiência online. Entretanto, criar sua própria comunidade online pode ser um grande desafio, porque seus participantes proavelmente já fazem parte de outras comunidades, e podem não querer entrar em mais uma. Pesquise sua audiência e encontre pequenos hábitos online. Você pode não querer construir sua própria comunidade para poder participar de uma que seus clientes já estão.
Seus participantes irão querer encontrar os influenciadores que eles conseguirem e o pessoal que eles jogam, então realizar encontros para isso pode ser uma atração a mais. Porém, não pode ser apenas encontros tradicionais. Precisa ser customizado para continuar a experiência do jogo no mundo real.

Conheça seu Jogo
Nas convenções de Star Trek você vai ouvir as vezes argumentos entre tradicionalistas e fans das novas adaptações sobre as falhas que ocorrerão nos filmes e nas séries. Eventos de jogos não são diferentes. Em adição ao estresse regular de organizar eventos, você precisa ter certeza de ser verdadero com o jogo. Alguns de seus participantes saberão melhor do jogo do que você conhece seu quarteirão.

Personalize a Experiência
Se seu evento envolve um jogo onde seu participante interpreta um persoangem, ache maneiras criativas de incorporar isso. Tenha certeza de envolver seus participantes nesses personagens.
Coloque nos crachás esses “alter-egos” para eles terem uma maior imersão.

Concluíndo…
Um evento gamer pode ser um dos maiores empreendidos que você quer alcançar como organizador de eventos. Possui os mesmos estresses e requerimentos de qualquer outro evento da mesma escala, mas ainda precisa da recriação de um mundo que seus participantes amam.
Não é simples organizar e criar experiências como essa, pois você precisa ser verdadeiro ao jogo que eles conhecem.

Checklist Campys Party – Não deixe nada para trás!

Fala pessoal!
Como vocês estão?!

Por aqui é só alegria e ansiedade. A CAMPUS PARTY BRASIL ESTÁ CHEGANDO!

ooooOOOOOoooo

E nós estaremos com uma versão do APP para ajudar nós, campuseiros, a não perdermos nenhuma atividade (pelo menos não por falta de informação!).

E estamos aqui para falar sobre isso. Vamos fazer checklist para ninguém esquecer de levar NADA!

Mas, um breve resumo da Campus Party (que, aqui nas terras tupiniquins, está em sua DÉCIMA edição! Sensacional 😀 )
A Campus Party é o festival mais importante do mundo nas áreas de inovação, criatividade, ciência e entretenimento digital. Criado na Espanha em 1997, o evento foi concebido na intenção de criar a maior comunidade de informações geek do planeta e incentivar as pessoas a usar seus talentos e conhecimentos para criar um mundo melhor através da tecnologia.
Fonte: TechTudo

Demais, não é?!
Agora, vamos ao que você, campuseiro, não pode esquecer de levar!

CAMA/MESA/BANHO

Obviamente você precisa levar suas roupas para ficar os 5 dias (e talvez mais pra quem vir de outra cidade/estado/país, né?).
O que recomendo é levar o que se sentir mais confortável, pois você irá ficar sentado/andando o dia todo e também a madrugada toda!
E lembre-se que São Paulo costuma fazer friozinho durante a noite sempre! Então um moletom/agasalho não é uma pedida ruim!
O que eu sempre levo:
1x moletom
1x calça jeans
7x camisetas
2x shorts
7x roupas de baixo
7x pares de meia (melhor sobrar do que faltar!)
1x chinelo (TOTALMENTE necessário para tomar banho, sério!)
2x tenis (nunca se sabe o que pode acontecer com um)
1x tampador de olhos pra dormir (como chama isso, alguém sabe?)
1x toalha (quando mais diferente, melhor, pois é costume colocar elas em cima das barracas para secar e achar a barraca mais facilmente!)

A barraca não é tão grande, tanto a normal quanto a dupla, portanto o colchão inflável de solteiro é o melhor que você pode querer.
Mas, um saco de dormir também não é uma opção ruim, porém é necessário algo para deixá-lo mais confortável!
1x travesseiro
1x edredon/cobertor

NÃO ESQUEÇAM de algo para guardar a roupa suja, isso é essencial!

TECNOLÓGICO

Você não vai querer ir para o MAIOR EVENTO DE TECNOLOGIA DO MUNDO sem seus aparatos tecnoçógicos, né?

O que eu geralmente levo:

Notebook (ou desktop se for o caso)
Monitor externo
Smartphone (e também tablet caso tenha e utilize)
Carregadores de todos os gadgets (sério, double check nisso!)
Adaptadores de tomada (lá, todas as tomadas são padrão brasileiro!)
Filtro de linha é essencial, pois, em geral você só tem acesso a 1/2 tomadas.
Adaptador de rede (não há wifi OFICIAL na feira, apenas rede cabeada padrão RJ45. Caso seu notebook não tenha essa entrada, PROVIDENCIE um adaptador!)
Roteador (caso queira conectar todos os seus devices e ajudar os seus amiguinhos com isso também!)
Fones de ouvido são essenciais!
E um power bank não é algo ruim de se ter.

Caso seja muito calorento, existem ventiladores USB ou à pilha que não são caros e são extremamente bons, recomendo!

E, claro, uma mochila para conseguir carregar todos os apetrechos enquanto não estiver na bancada.
E ah! Caso queira deixar seu notebook/desktop/monitor na bancada, compre aqueles cadeados próprios. Sempre há pessoas na Campus vendendo, é só ver nas redes sociais! (mas não deixe para a última hora!)

HIGIENE PESSOAL

Isso é uma parte muito pessoal, porém vou passar novamente por aqui para vocês terem certeza de não esquecer nada!

1x Shampoo
1x Condicionador
2x Sabonetes (se cair no chão, meu amigo. =x)
1x Saboneteira
1x Escova de dentes
2x Pastas de dente (não é pra colocar no rosto do amiguinho enquanto ele dorme! é para emergencias!)
1x Fio dental
1x Desodorante
1x Talco para os pés (vocÊ vai andar demais! cuide de seus pés também!)
1x Perfume (a Campus B ta aí para isso, né amiguinhos. Pessoas cheirosas são um diferencial no meio da multidão)

Novamente, isso é muito pessoal! Cada um sabe melhor de si mesmos do que os outros! 😀

SAÚDE

Se você for uma pessoa com a saúde meio frágil igual a mim, você sempre precisa andar com seu kit de primeiro socorros.
Não esqueça de seus remédios, bulas e receitas! É importante.
E CAMISINHA GALERA!

APARATOS EXTRAS

A Campus Party é o lugar onde você ve, ouve, sente e respira tecnologia. É o melhor lugar para você testar suas invenções e apetrechos que adquiriu.
Coisas que podem ser interessantes que você leve, caso tenha:

Drone
Hoverboard
Impressora 3D
Robôs
Video-games
TV
CaseMods

Todos esses ítens acima sempre aparecem durante as CPBR e são atrações extras. Sempre sensacionais!

COMIDA

Novamente um tópico muito pessoal.
O quanto você come por dia? Pouco? Muito? Tem uma alimentação mais regrada? Está de dieta? Tudo vai depender de ti.
Porém, o que a maioria faz e diz não se arrepender e nem ao menos ficar com fome é:

Cup Noodles. Sério, isso salva vidas demais, e é rápido (você não quer perder nada, não é?)
Sneacker (aquele chocolatinho que o slogan é: “Mata sua fome”. Ele funciona mesmo, eu sempre levo vários para conseguir aguentar o dia)
Bolachas variadas e petiscos para o dia, para quem gostar de mastigar!
Refrigerantes/Sucos/Energéticos. Não existem geladeiras lá dentro, portanto você precisa pensar em uma maneira de gelar essas bebidas (muitas pessoas levam isopor e compram gelo por lá!)

Porém a Campus sempre oferece o Cathering. São 3 (ou 4?) refeições por dia com um cardápio variado e com horários regrados. A maioria dos Campuseiros que conheço não recomendam, porém é uma opção para quem não quer se preocupar com isso!
A Campus B (encontro que ocorre a noite ao lado de fora do Anhembi) sempre têm pessoas vendendo pizzas, lanches, sucos, cervejas, refrigerantes… enfim, a noite é o lugar que o pessoal vai para relaxar, conversar, realizar um networking mais pessoal. Recomendamos para todos!! (Sério, vão e me procurem! 😀 )
E, além de existir o iFood para comida delivery, tem também uma startup chamada Marmotex que entrega marmitas e são campuseiros como nós! Vale a pena encontrar esse pessoal para pedir a comida deles que é extremamente gostosa!

Mas, sério: Campus Party é sinônimo de pizza. Coloque isso na sua cabeça.

ESPAÇO EXTRA

Sim, você não leu errado.
Espaço extra.
Leve uma mochila/saco/bolsa a mais para trazer os brindes que conseguir lá dentro.
Os patrocinadores da Campus são muito generosos, e vocês voltarão com várias coisas interessantes.

Não digam que não avisei!

ACESSO A INFORMAÇÃO

E a Campus é algo dinâmico, versátil e que funciona 24h. Sempre há palestras (algumas começam as 00h), workshops, competições, encontros… enfim, a feira possui atrações incrível a todos os momentos, e você não quer perder algo de seu interesse por esquecer dele (sério, você esquecerá).
Então, o que nós indicamos para o checklist:

App Campus Party: É o oficial, vale a pena o teste.
Twitter: A Campus funciona baseada no twitter. É por ele que você irá saber das promoções, novidades, pessoas famosas, promoções da 3 Corações… Tudo é por ele. Recomendo a utilização do TweetDeck, que você consegue filtrar por hashtags (#CPBR10) na área inicial do app… Extremamente bom.

E o nosso app especial para a Campus.
Partz na Campus: Iremos mapear as atividades oficiais e não oficiais. Iremos avisar de promoções dos patrocinadores, tudo com uma interface amigável, além de vocês já descobrirem de ante-mão como o app oficial irá ficar!
Essa semana estaremos na loja (apenas para Android, por enquanto :'( ), e avisaremos na página do facebook e no perfil do twitter.
Fiquem ligados!

Isso é o que eu, @gabztodaro, acho que NINGUÉM deve esquecer!
Nos vemos lá!

Como escrever uma proposta para investimento perfeita

Olá pessoal! Como vocês estão?

Neste artigo trazido novamente do Event Manager Blog, falamos de como criar uma proposta quase perfeita.
Claro que tudo irá ser influenciado baseado nas suas experiências prévias, em como você consegue apresentar seu projeto aos investidores e qual o seu público-alvo.

Trazer investidores para dentro de casa é difícil, porém necessário. Se você não estiver preparado com uma proposta perfeita, você pode ter certeza que outra pessoa estará.
Aqui vão algumas coisas que você precisa saber para poder criar a proposta perfeita.

Anos atrás, trabalhei para uma empresa que queria construir uma boa impressão na indústria. O chefe do marketing (CMO) aproximou-se de produtores de eventos e disse à ela que queria fazer mais. Ela sorriu, assim como muitos de nós que estão lendo isso, “eu quero te dar dinheiro”. Ele perguntou como eles poderiam trabalhar juntos em um benefício mútuo, o que as pessoas dentro da indústria conhecem por “eu quero te dar muito dinheiro mas você precisa me dizer sobre o retorno do investimento”.

Murphy existe, não esqueça. [Adaptação do Gabriel 🙂 ]

Quase lá. A próxima vez será melhor.

Quase lá. A próxima vez será melhor.

Ainda assim, a cabeça dele sempre teve uma lista de checagem, e ela deveria entregá-lo os números (ou um pequeno encorajamento) para ele poder ir até seu CEO e investidores com uma sólida estratégia de marketing.

A resposta dela foi: “bem, nós podemos fazer qualquer coisa.”

“Nós podemos fazer qualquer coisa” não foi uma boa resposta. Não há um retorno exato no investimento para “qualquer coisa”. Ele precisava de algo concreto e ela perdeu a oportunidade.

Sem uma proposta de investimento bem escrita, você irá estar no mesmo barco que ela esteve – arrancando seus cabelos pensando onde tudo foi pelos ares.

Então, o que ela deixou passar acima de tudo? Aqui estão algumas dicas do que ela poderia ter incluído na proposta perfeita.

Checklist sempre é a melhor forma para se programar.

Checklist sempre é a melhor forma para se programar.

5 tópicos que você precisa em uma proposta de investimento para evento perfeita

Existem duas coisas que você precisa fazer em sua proposta: mostrar o retorno do investimento e construir a confiança de seus investidores de que você pode alcançar o que está dizendo à eles. Publicitários hoje em dia são contratados com entendimento e análise de dados e eles terão que tomar grandes decisões porque o CEO deles está lendo a Forbes e a Harvard Business Review e eles estão dizendo que dados são tudo. Se você não ajudá-los pelo menos mostrando uma estimativa preliminar de um retorno do investimento, eles não irão apresentar isso para seu chefe. Eles não querem que o marketing seja um departamento sem retorno.
Eles querem que o produtor de eventos trabalhe para ajudá-los a brilhar e isso significa produzir um retorno de investimento plausível.

Pitch Deck Personalizado

Por mais que você esteja apresentando oportunidades, você verá mais sucesso se a aproximação for personalizada ao investidor. Os dias de “apenas um serve para tudo” terminaram. Mas, não se preocupe. Todas as informações que você precisa estão na ponta de seus dedos. Faça sua pesquisa no LinkedIn e no Google. Leia novidades. O que a empresa está alvejando e o que eles estão mais preocupados? O que está ocorrendo na indústria deles? Use essas informações para criar aproximações personalizadas usando esses dados que encontrou e construa a oportunidade perfeita.
Tenha certeza de demonstrar que não é um simples patrocinador “gold”. É algo personalizado e único para o seu ouvinte.
Esse documento deverá possuir um design arrojado, demonstrar profissionalismo, estar gramaticamente correto e personalizado para o potencial investidor. Isso será usado para vender suas ideias e, enquanto você pode ter sorte em ter uma reunião cara-a-cara, você não precisará estar lá quando a decisão for tomada. O documento falará por você.
E, algumas das áreas que você gostará de abordar são:

Público
Para mostrar um retorno de investimento, você precisa apresentar números de quantos pretende atender, que nível de “tomador de decisão” eles são, qual a maioridade demográfica e qualquer outro insight que puder ajudar os investidores a entender qual o cliente ideal representa seus participantes.

Competição
Se seu potencial investidor possui competidores e eles costumam participar de seus eventos, você precisa avisá-los. A presença de um competidor sugere que isso é um evento que vale a pena(empresas não vão à eventos se não tiver retorno).

Exposição
Você sabe quem estará presente e o que os atrai, mas agora quem precisa saber isso são os patrocinadores. Você precisa gastar muito tempo nisso. Você precisa demonstrar à eles com alcançar seus participantes. Muitos vendedores e promoters já foram demitidos por não saber alcançar a expectativa dos participantes que imaginaram conseguir. Seja específico. Imagine e planeje seu cenário. Pense em potenciais questões que eles terão antes de trazê-las até você, e esteja pronto.

Visuais
A primeira coisa que você precisa incluir em sua proposta afeta a decisão de realizar ou não o investimento. Mas esses dados não serão benéficos para você também se eles forem obsoletos, transmitirem dados errados ou serem fantasiosos demais. E esse é o motivo para você tirar o tempo que for necessário para deixar tudo minimamente no lugar. Tenha na cabeça que eles estarão escaneando o documento em seu estágio inicial, então deixe-o fácil de ler e visualmente atraente. Se você possui estatísticas sobre seus clientes (e esperamos que você tenha), crie gráficos que sejam fáceis de entender. Adicionar esses gráficos deixa tudo menos monótono.
Você também pode incluir videos e fotos, mas tente ser o mais pertinente ao assunto possível, e também não seja genérico demais!
Outra adição interessante é inserir opiniões de clientes que já participaram de seus eventos em forma de posts nas mídias sociais. Se tiver uma possibilidade, por menos que ela seja, do evento ser viralizado publicamente, isso aumentará a chance de investimento.

Histórias
Histórias são sempre uma boa introdução.
Uma das mais efetivas é contar como um outro investidor obteve sucesso com essa empreitada. Comece mostrando os desafios que ele enfrentou e como você o ajudou.

Concluindo…
Menos é mais em uma proposta de investimento perfeita. Você precisa dos itens e dos detalhes que convencerão a banca a investir em seu evento (ou parte dele), mas você não precisa exibir todos os detalhes também. Eles não tem tempo para se dedicar lendo a completa história de sua empresa e de seu evento. Ao invés disso, forneça detalhes que eles irão precisar e também o que você fará com o dinheiro e como ajudará eles a ganhar exposição.
Isso é tudo o que eles precisam para tomar a decisão.

E você? Já teve uma proposta de investimento matadora? Não apenas com eventos, mas em outras áreas? Se sim, comente em baixo!

E se inscreva em nosso site! =)
Partz – Seu evento na mão de todos!

Instagram Live: O que isso significa para a indústria de eventos

Instagram anunciou a pouco tempo sua nova feature, que pode impactar diretamente seu evento.

O Facebook está mirando para matar o Twitter e os sinais são visíveis. A plataforma de fotos e vídeos quer pegar a maior parte do mercado com experiências ao vivo e levá-la ao Instagram.
Enquanto o Facebook é uma plataforma mais estática, o Instagram captura o momento com um visual impactante bem maior e mais forte.
E agora eles realizaram dois anúncios que pode impactar toda a rede de mídias sociais.

instagram-live

O primeiro foi o Instagram Direct:
Agora, os usuários podem mandar fotos que sumirão logo após vistas. Também poderão desenhar, adicionar textos e doodles à elas. (Isso te lembra o Snapchat? Me lembra também)
As mensagens podem ser enviadas para indivíduos ou para grupos, mas apenas se eles forem seguidores.
Os usuários serão alertados se uma screenshot for tirada, ou se o vídeos foi visto novamente. (Snap quem?)
Essas features estão disponíveis desde a última atualização.

O segundo anúncio foi o Instagram Live:
Os usuários poderão realizar streaming a partir de suas histórias.
A opção “Go Live” aparece quando der swipe quando for adicionar uma foto ou vídeo a sua história.
Quando o vídeo iniciar, uma pequena insígnia de “live” aparecerá e poderá ser visto pelos seus seguidores, e uma notificação será enviada apenas para os seguidores que mais engajam com suas publicações.
Os espectadores poderão enviar comentários e corações.
Eles também podem ser bloqueados e reportados do feed do usuário, se necessário.
O vídeo desaparecerá logo após a transmissão acabar, e não será possível vê-lo novamente.
Uma lista de “top live” aparecerá no topo do app, com sugestões para os usuários, tudo realizado por um algoritmo.
Mas, por hora, apenas para alguns usuários de teste essa feature está disponível. Teremos que aguardar mais algumas semanas!

Várias oportunidades surgem para nós, produtores de evento, com essas novas funções do Instagram, como:
Ajudam a entregar experiências mais privadas e menos artificiais.
O alvo será os usuários que veem streams com frequência, que não gostam de ver apenas momentos do que houve após ocorrer.
Os espectadores ficarão com medo de perder algo importante, visto que os vídeos automaticamente somem após a exibição.
As atualizações permitem que o streamer saiba exatamente quem está assistindo, e quando.

Implicações na indústria de eventos
Nós participamos de uma indústria viva e que está em constante evolução, principalmente por causa das mídias sociais. Instagram Live é uma nova ferramenta que muitos eventos deveriam considerar por ser rápida e introduzir mais facilmente novos participantes para seus eventos.
Quanto antes implementar essa opção em seu evento, maiores visibilidades você trará para seu projeto.

Artigo adaptado do Event Manager Blog 🙂

10 sinais de que seu evento está para dar errado

Neste artigo listamos 10 sinais de que seu evento está para dar errado.
Você conhece os primeiros sinais de que seu evento está destinado a fracassar?

Se você já tiver jogado Jenga, um jogo popular de construir blocos sem deixar cair, você sabe como é frustrante assistir sua torre ruir. Ela começa de uma forma e após as jogadas você apenas sabe que é uma questão de tempo até desmanchar. Você joga seu turno calmamente, e então a próxima pessoa faz o mesmo. E, tijolo após tijolo você fica esperando quando tudo desabará.
Pode apostar que acontece com todos.

Tudo desaba.

Tudo desaba.

Eventos são da mesma forma. Se você assistir cuidadosamente, você pode ver eles crescendo mais e mais. E, quanto antes você perceber os sinais ruins, melhor. Se conseguir percebe-los antes, pode corrigí-los.
Algumas vezes não são tão óbvios quanto você pode imaginar, então fique ligado nesses indicadores:

Ninguém está falando sobre seu evento
Como os mais velhos dizem: ódio não é o oposto de amor, indiferença é.
Indiferença é a total falta de emoção. Com indiferença, seu público não liga a mínima pro evento que você organizou, não dando a menor atenção. Amando ou odiando seu evento, eles tem que falar sobre.
Se não falarem, você tem um problema.

Retenção está caindo
Se você organiza um evento anual ou em séries, as pessoas retornam em todos os eventos ou você está sempre renovando seu público?
Se você apenas olhar para os números, você pode se sentir bem ao ver os números crescendo com cada evento, mas se você ver muitos novos rostos e apenas alguns antigos, isso pode indicar um problema.
Claro, as vezes você não tem habilidades de marketing excelentes mas, eventualmente, você vai atrás de novos participantes, e verá seus números caírem.

Você não está pedindo o feedback corretamente
Pesquisas de encerramento podem ser imensamente ineficientes por causa das questões que você faz. “Como como avalia essa apresentação?” é uma questão incompleta. Alguém que passou uma manhã horrível pode classificar esta questão extremamente alta. Você pode olhar essa resposta, achar que o palestrante é extraordinário e pedí-lo para voltar quando, na realidade, foi apenas a melhor parte da manhã daquele participante.
Uma questão mais efetiva seria “Esse tópico poderia ser melhor elaborado?”, ou “O que você recomendaria para alguém desse evento?”. Também tire um tempo para analisar os resultados atuais versus os resultados anteriores, em tópicos similares. Essa área sempre está melhor que as outras? Isso está dessa forma por causa do pessoal? Eles estão entendendo o que está sendo proposto?

Seu marketing não é específico o bastante
Todo evento possui um ideal. Você não deve tentar recrutar todo mundo. Se você não estiver falando com seu participante correto, seu evento irá falhar. Não tenha medo de excluir certos grupos. Isso te ajuda a tomar decisões difíceis. Pense: Se você estiver organizando uma conferencia de marketing, você estará ajudando pequenos negócios ou a Fortune 500? O marketing é completamente diferente. Se quiser atingir ambos, é melhor separar os caminhos porque eles definitivamente não são os mesmos.

O participante ideal é indefinido
Veja acima. Se você não sabe quem você quer atingir, preocupe-se com isso antes de fazer qualquer outra coisa. Sério.

Preste atenção enquanto ainda da tempo.

Preste atenção enquanto ainda da tempo.

Seu evento parece sempre o mesmo
Se você está continuamente realizando o mesmo evento, ele ficará ultrapassado. Esqueça a cidade e a avenida. Até mesmo o tema. Isso tudo é extra e não faz o seu evento único. Na formação, sempre foi o mesmo? Pode trazer participantes de volta porque segue o mesmo cronograma todo ano? Muito pouco muda-se com o tempo. Seu evento não pode ser uma dessas coisas.

Você se preocupa muito com tecnologia
Tecnologia serve para te ajudar com o planejamento do evento, não para estar em cima de você. Não utilize a tecnologia por estar preocupado com o que pode dar errado. Não se perca ao utilizar uma tecnologia não tão util apenas porque perdeu tempo aprendendo. E, finalmente, não assuma que não exista tecnologia que não possa resolver seus problemas. Tech é apenas outra ferramenta. Tenha certeza de ter sempre a melhor ao seu alcance.

Ter um calendário desconexo com seus participantes
Se seu evento é recorrente, você precisa manter as coisas sussurrando por ai. Maneiras populares de fazer isso são newsletters, mídias sociais, campanhas de emails e comunidades online. Um ano passa muito rápido, mas não rápido o bastante para que você perca seus clientes por mal planejamento. Esteja conectado e tenha uma preocupação a menos.

Você está enfrentando sempre os mesmos obstáculos
Einstein é creditado por dizer que a definição de insanidade é fazer a mesma coisa toda vez, esperando diferentes resultados. Se você esta percebendo estar enfrentando sempre os mesmos problemas, pode simplesmente não ser um problema. O problema pode te levar a solução. Não coloque band-aid aonde precisa de pontos. Enfrente os problemas e avance.

Vendedores ou patrocinadores não estão renovando
Viticultores costumam plantar rosas no começo das linhas de uva. Mineiradores costumam levar canários para as minas. Ambos possuem indicadores de problemas. Seus parceiros não renovando é um grande problema. Quanto antes possível, é importante conversar com um ex-patrocinador para ter um feedback. Essa mudança brusca pode indicar um problema com a qualidade que os seus participantes terão no evento. Isso também pode ser um indicador para mudar a sua demografia.

Concluindo…
Não seja o último a saber dos problemas de seu evento. Sempre procure pelos sinais iniciais, principalmente enquanto estiver no começo e da para se ter uma ação mais rápida.

Essa foi mais uma tradução livre do artigo presente no blog Event Manager, sempre com ótimos conteúdos.

Quer ver algo diferente? Comente abaixo, ajude-nos 😀

O crescimento do produtor de eventos virtual

No nosso artigo semanal (com alguns de atraso, nos desculpem!), trazemos algo que muitas pessoas estão de olho: O produtor de eventos virtual.
Sim, é possível (este que vos escreve, Gabriel, é um deles!), mas demanda dedicação e muito esforço.
É um artigo do blog Event Manager que, como sempre, tem assuntos fantásticos.
Sem mais delongas, vamos ao artigo:

Avanços em tecnologia criaram novas maneiras de trabalhar dentro da indústria de eventos. Existem muitas oportunidades de trabalhar de casa, virtualmente, com excelentes resultados.

Planejar eventos tem se tornado mais “inteligente” e a tecnologia trouxe possibilidades para trabalhar globalmente. Trabalho virtual significa que, agora, você pode compartilhar suas habilidades mais facilmente e expandir sua clientela ao redor do mundo. Você também pode suprir suas necessidades quando você precisar, aonde precisar, sem necessariamente recrutar um membro permanente para sua equipe.
Colaboração e expansão de oportunidades de trabalho podem ser aproveitadas do conforto de seu escritório que você construiu para criar uma rede de empregados virtual ao redor do mundo, buscando um mesmo objetivo.

Se você sempre buscou ser um produtor que trabalha de casa, agora é definitivamente possível. Esse guia pode te ajudar a ser um freelancer, melhorar seu perfil, encontrar clientes e trabalho, know-how para ajustar seu preço, manter-se organizado e conquistar o sucesso.
Não tenha mais escritório, apenas planeje os eventos que você ama!

Organize seu trabalho virtual.

Organize seu trabalho virtual.

Então, quais são as oportunidades que essa nova geração de produtores de eventos e como você pode começar a oferecer serviços como produtor virtual?

Getting Started as a Virtual Event Planner

Primeiro você precisa decidir o que você pode e o que você fornecerá. Obviamente, como um produtor, você quer organizar, planejar ou gerenciar eventos, mas você precisa determinar em qual capacidade e quais serviços você oferecerá. Por exemplo:
Você é criativo? Você pode ver as ofertas para criação de logos, publicações e material promocional de eventos.
Talvez você é mais interessado em marketing de eventos e pode ajudar com a promoção de eventos, competições, paginas nas redes sociais ou contas online pra um evento específico?
Ou então você é excelente em conversar com clientes, participantes e patrocinadores para arrecadar fundos e criar oportunidades?
Seu foco é em ajudar nas tarefas administrativas?
Ou talvez você tenha muita experiência em processos jurídicos, como contratos e termos de uso? Ou saúde e segurança?
Talvez você possa oferecer consultoria para aqueles que querem organizar seus próprios eventos, se você tiver uma boa experiência.

Ultimamente, as opções são ilimitadas, você apenas precisa usar suas forças como um guia e construir a partir daí.

Setting Your Virtual Price

Isso pode ser a parte mais difícil de ser freelancer, especialmente se você possui pouca ou nenhuma experiência. Existem dois riscos aqui:
Muito baixo: Isso mostra aos seus potenciais clientes que tanto seus serviços não valem tanto a pena, quanto você não tem confiança em si mesmo, o que significa que está trabalhando você mesmo (conquistando as primeiras experiências), ou que você não está recebendo muitas ofertas.
Muito alto: Aqui é, geralmente, onde as pessoas erram. Se for muito alto você pode não conseguir clientes porque está em um “patamar” muito elevado, ou, na pior parte, você é contratado por um cliente com altas expectativas por estar pagando mais e você não conseguir entregar, o que pode ser desastroso, tanto para o cliente quanto para você.

Você precisa encontrar um preço médio que permite mostrar aos seus clientes que você possui um preço competitivo. Você pode realizar isso de várias maneiras, de acordo com as opções:
Por projeto: Ofertas oferecidas por projeto ou conquistas quantitativas são populares entre quem realiza esse trabalho específico. Por exemplo, criar uma página do Facebook para um evento, produzir um flyer, criar um site de registro. Com algumas informações básicas, você terá uma boa ideia de quanto tempo isso irá levar, o quanto irá exigir de você, e poderá ajustar o preço baseado nisso.
Por hora: Ofertas por reserva de horas para planejamento de eventos é o método mais difícil, pois algumas atividades são difíceis de provisionar o tempo exato. Por exemplo, se você está assessorando o evento com um patrocinador, você não quer colocar seu preço por projeto porque isso tomará tempo que você não estará sendo pago. Ao invés disso, você pode configurar horas para situações desse estilo. Porém, é uma situação que necessita ser deixada clara com o cliente.
Combinação ou Porcentagens: Essa última opção é a mais comum quando você tem mais experiência e está trabalhando com empresas de reputação, que você conhece e estão indo bem. Por exemplo, você irá organizar uma cobrança única no começo da organização do evento e então receber uma porcentagem dos ingressos na porta, ou uma parte dos patrocinadores, dependendo de quais habilidades você foi contratado para realizar. Muitos clientes gostam dessa maneira, pois o salário do contratado depende exclusivamente de quanto ele trabalha. Porém, essa não é a maneira mais lucrativa de fazer as coisas, e é difícil de discutir preços após os eventos, caso ache que está sendo mal remunerado.

Organization as a Virtual Event Planner

Planeje seu tempo de trabalho virtual.

Planeje seu tempo de trabalho virtual.

Agora que você sabe o que quer fazer e o quanto quer cobrar por isso, você precisa se adaptar para o trabalho virtual. Trabalhar num ambiente virtual traz benefícios como trabalhar de casa, mas isso também tem seus próprios desafios, como mais distrações, menos interações, etc. O que ajuda é a organização pessoal e a produtividade. Trabalhar em seu próprio ambiente, especialmente em uma indústria acelerada, ajuda a reduzir o estresse, mas também pode aumentar a facilidade de se distrair, diminuindo sua motivação e sua produtividade.
Para lutar contra isso, permanecer organizado é vital (provavelmente mais do que trabalhando em um escritório convencional), e você pode fazer isso de várias maneiras:

  1. Calendário pessoal é essencial.
  2. Não é porque o trabalho é virtual que você não precisa imprimir os arquivos e guardá-los, então tenha um espaço ou um sistema para isso.
  3. Tenha uma mesa, escritório ou espaço pessoal dedicado ao seu trabalho, onde você conseguirá ser produtivo. Isso se tornará em breve um hábito.
  4. Salve tempo para você mesmo, um intervalo para almoço ou para ver um amigo, pois isso ajuda a quebrar o dia e manter-se focado, quando retornar.

Finding Work and Clients

Sem trabalho significa sem dinheiro e você não pode ficar assim.
Se você for novo em planejar eventos virtualmente, você pode não saber onde procurar, porém você provavelmente começou sem saber realizar essa busca.

Social Media
Ser um produtor virtual significa que você terá todo um network na ponta de seus dedos se utilizá-lo corretamente.
Crie contas business e use as mídias sociais para promover seus projetos e a si mesmo. Isso cria um portfólio para si mesmo e ajuda a criar burburinhos sobre seus serviços. Você pode também conversar com novos seguidores (leads) que são interessados em seus serviços.
GetNinjas (dica do autor)
Essa plataforma online funciona baseado em localização e expertise. Você cadastra seu perfil, com o que quer trabalhar, e sempre que um usuário procurar por alguém naquela região, você será notificado.

5 Top Tips for Virtual Event Planning Success

  1. Engage sua audiencia
    Diferente do convencional, você pode ser facilmente ignorado se for um produtor virtual, o que significa que precisará destacar-se para manter as coisas em alta com seus potenciais clientes e participantes.
    Uma ótima forma de realizar isso é criar um mídia kit para seus produtos e serviços com um layout profissional e ótimos gráficos para deixá-los boquiabertos do começo ao fim, dando um motivo para eles se conectarem a você.
  2. Jogue com suas forças
    Sempre ofereça o que você pode entregar realmente bem, então não faça promessas que você não pode cumprir. Seja honesto, mas sempre esteja preparado para um desafio, pois pouca experiência não quer dizer que você não pode fazer isso!
  3. Construa experiências
    Comece pequeno, não queira começar realizando um festival com ingressos esgotados de primeira. Você pode, inclusive, começar com festas para crianças, aniversários de amigos e de familiares e aprendendo com isso.
  4. Seja estusiasmado
    Faça as pessoas gostarem de trabalhar com você, e querer isso cada vez mais. Quando você estiver tentando convencer um cliente a te contratar, um colaborador para trabalhar junto com você ou mesmo aumentar sua presença online, esteja feliz e demonstre isso, tanto pessoalmente, quando por email e qualquer outra forma de contato.
  5. Não esqueça de fazer uma pausa
    Uma das vantagens e também das desvantagens de trabalhar virtualmente é que você pode trabalhar em seu tempo. Planejar evento pode ser difícil e estressante e uma forma rápida de ficar louco é não tirar um tempo para você.
    Como estará trabalhando de casa, você deve ter uma área completamente livre de trabalho para relaxar e evitar o estresse, para depois voltar para o trabalho!

Conclusão
Produtor de evento virtual pode ser incrivelmente gratificante e mais fácil do que nunca. Utilizando tecnologias e mídias sociais você pode planejar eventos e vender seus serviços. É importante lembrar que, enquanto procurar clientes e trabalhar tem ficado mais fácil com sites de freelancer, você ainda precisará se manter competitivo e ter uma visão clara do que está oferecendo para competir no mercado.

10 hábitos ruins de produtores de evento (e como corrigi-los)

Olá pessoal, neste artigo falamos sobre alguns hábitos ruins que produtores de eventos podem ter.
É outro artigo do Event Manager, um blog com muito conteúdo de excelência para produtores!
Sem mais delongas, vamos lá!

Você é possui algum desses hábitos?
Pare.
Agora!

Mude seus hábitos ruins

Mude seus hábitos

Todo mundo tem costumes que gostariam de mudar em si mesmos, ou até mesmo um estilo de trabalho. Com o tempo, nós desenvolvemos hábitos que podem não nos levar ao estilo mais produtivo de trabalho. E reconhecer as áreas que precisam ser melhoradas é um importante caminho para o sucesso.

1. Working Around The Clock
Muitos produtores tem o luxo de personalizar as próprias horas durante a fase de planejamento, antes e depois de seus eventos. Você pode trabalhar de casa ou de uma empresa flexível.
Isso é um maravilhoso benefício, mas pode ser perigoso. Ter autonomia é bom, mas pode levar a ter maus hábitos de trabalho durante as horas do dia e da noite. Faça seu melhor para se comprometer com as horas de trabalho e, fora de seus horários de trabalho, se mantenha focado em sua vida pessoal!

2. Getting Flustered in Stressful Situations
Alguns gerentes de eventos tem o mau hábito de se mostrar desgastado quando a pressão está alta. Existe uma enorme diferença entre estar internamente estressado mas manter-se confiante e estar estressado a ponto de todos repararem em seu comportamento.
Essa atitude estressada irá abaixar o animo do seu time e antes que você perceba, todos (incluindo seus clientes) perceberão a situação em que está. A chave é manter-se calmo por fora, mesmo quando você tiver milhares de pensamentos, ideias e tarefas acontecendo.

3. Not Listening
Quando você não para pra ouvir seu time, seus voluntários, clientes ou outros produtores, você pode perder informações importantes. Não caia nesse hábito ou você pode perder algo crucial para o sucesso de seu evento.
Tire um tempo pra ouvir as críticas de seus convidados, voluntários e de sua staff. Tire quantas notas forem preciso!
Dica da Partz: Faça pesquisas de satisfação pós-evento. Você aprende muito nesse momento!

4. Moving Too Fast
Durante um evento, nós gastamos tempo correndo atrás de deixar nossos convidados felizes e fazer o evento correr sem problemas. Tenha cuidado para não realizar essas atividades muito rápido ou você pode acabar passando a impressão de que as coisas estão fora do controle. Estar desajeitado ou disperso reflete de uma maneira ruim, tanto pra você quanto para sua empresa.
Desacelere e abrace o evento. Você terá mais tempo para se engajar com seus convidados e ter uma visão mais clara do que precisa.

Mude seu caminho

Mude seu caminho

5. Making Quick or Impulsive Decisions
Correr com seus afazeres pode também te fazer tomar más decisões. Quando você não tem tempo para pensar claramente você pode acabar cometendo erros que custam dinheiro, tempo e podem comprometer seu evento.

6. Not Asking for Help
Ficar sobrecarregado se tornou parte do trabalho quando você se tornou um produtor de eventos. De lutar por horários a gerenciar seus convidados e vendedores, você tem muito a fazer. É esperado que você chame outros pra ajudar quando estiver sobrecarregado.
Tenha certeza que você aprenderá a delegar e pergunte quando você não entender algo.
Uma grande parte do trabalho é aprender em cima da experiência. Pedindo conselhos ou recomendações de outros produtores ou de seus supervisores irá ajudar a desenvolver sua carreira e seus eventos. Esteja aberto a novas ideias e peça feedbacks de outros, isso irá te ensinar e te dar ideias que podem ser utilizadas ao longo de sua carreira.

7. Focusing on Your Competition
Frequentemente nós nos pegamos distraídos, comparando nós mesmos com outros. É extremamente fácil ver o que os outros estão fazendo via mídias sociais e se torna muito difícil não realizar comparações. Enquanto é uma ótima ideia nos mantermos atualizados nos tópicos recentes da indústria, é preciso cuidado para saber quando é o suficiente.
Você nunca sabe a história toda por trás de outro negócio, de outra pessoa, então você não pode gastar muito tempo obcecado por cada movimento dos outros. Mantenha-se focado em seu negócio, seus eventos e na experiência que você vai prover como produtor.

8. Taking on Too Much
Você pode ficar extremamente pressionado quando resolve pegar muitas tarefas ou projetos.
Mantenha seu cronograma organizado e evite entrar em situações onde você possua mais tarefas do que pode resolver. Como produtor, muitos de nós buscamos ser aqueles disponíveis para desafios e dispostos a pegar qualquer tarefa, mas temos limites que não conseguimos superar.
Isso é um erro comum que novos produtores que buscam crescer cometem, entretanto você precisa ter certeza de que está fazendo seu trabalho da maneira correta. Realize um passo de cada vez e tome as decisões conscientes do tanto de trabalho que você tem.
As vezes você precisa dizer não.

9. Behaving as a Guest
Planejar eventos as vezes parecem ser grandes festas. Trabalhar com celebridades, viajar para lugares exóticos e trabalhar com novos e inovadores aspectos são pontos excitantes do trabalho.
Agora, você nunca pode cometer o erro de aproveitar seus eventos como se fosse um convidado. Não importa qual seja o projeto, você precisa se manter profissional e nunca esquecer que você não é um participante, você é quem está fazendo esse evento se tornar realidade. Claro que você pode se misturar quando puder, mas nunca deixe de se mostrar responsável.

10. Staying Connected
Enquanto trabalhamos horas e horas por dia, tendemos a ficar conectados, não importa onde estamos. Mídias sociais, emails, apps… a lista de conectividade não para!
Não comenta o erro de perder sua vida pessoal por estar gastando muito tempo conectado com seu trabalho.
Tire férias e se desplugue por um tempo. Quando voltar, você estará renovado e pronto pra mergulhar novamente. Mesmo durante os fins de semana você pode se ausentar de olhar seus emails.
Quase tudo pode esperar pela segunda-feira!

Concluindo…
Maus hábitos podem ser difíceis de mudar e a maioria de nós somos culpados de alguns desses (pelo menos). As vezes mudar velhos hábitos requerem que você muda e crie novas rotinas. Mantenha sua energia em realizar mudanças que irão melhorar a experiência que você provê aos seus clientes. Caso precise, dê um passo atrás e tenha um olhar crítico do que você faz e de quais áreas você pode melhorar, trazendo pra você uma longa carreira de sucesso.

20 ideias para quebrar o gelo em eventos de Networking

Temos como missão levar informação às pessoas sempre e, tendo isso em mente, começaremos a publicar artigos para que vocês tenham um conhecimento a mais na realização de seus eventos!

O artigo de hoje é do blog Event Manager Blog, um portal para gerenciamento de eventos, extremamente informativo e completo, com o foco em networking!

Sem mais delongas, vamos ao artigo!

Eventos de Networking

Eventos de Networking

20 ideias para ajudar a quebrar o gelo em eventos de networking

Networking é uma parte importante dos eventos, e permite que os participantes conheçam novos clientes em potencial, fornecedores ou contatos para colaborações futuras.

Neste artigo vamos citar 20 ideias para quebrar o gelo de uma maneira fácil, divertida e que deixe todo mundo mais tranquilo.

Encorajar interações entre seus participantes é um grande objetivo para a maioria dos produtores de eventos, principalmente aqueles que entendem como é importante o networking em termos de engajamento, tentando sempre criar uma experiência única!

Atualmente, com tanto tempo sendo gasto em interações online, é necessário demonstrar que o encontro real, face a face, é ainda mais importante. Networking pode ser, entretanto, um grande motivo de ansiedade para participantes introvertidos.

Aqui vão algumas ideias que utilizam tecnologia ou não pra acelerar o networking, aumentando as conversas e bate-papos em seu evento, trazendo alguma diversão!

1. Table Top Quiz

Bole alguns quizzes e curiosidades referentes ao seu evento ou cultura pop em geral. Faça uma mesa única e entregue para os participantes, buscando encorajar a interação entre eles, ao invés de apenas conversar com a pessoa sentada ao lado.
Para o quiz, mantenha todos envolvidos desde o início por um determinado tempo e faça a equipe campeã ser aquela mais rápida nas respostas corretas.

2. Throwable Microphones

Existem diversos modelos de microfones de espuma disponíveis que são fáceis para arremessar, pegar e derrubar (sempre tem um!). Isso oferece uma ideia engraçada que ajuda a quebrar o gelo e manter todo o público envolvido. E ainda ajuda a eliminar o medo e a estranheza de segurar um microfone tradicional.

3. Name Tag Switcheroo

Esse é um jogo sempre engraçado e interessante que pode ser jogado desde o início. Mas, esteja avisado! É melhor realizar em pequenos grupos ou eventos, porque muitas pessoas podem deixar tudo mais difícil!
Comece dando para os participantes crachás com nomes trocados e peça para eles acharem a pessoa correta com seu nome. Quando encontrarem a pessoa que possui seu nome, precisam responder 3 questões sobre si para obter seu crachá de volta, continuando até todos possuírem seus crachás.
Isso não apenas ajuda as pessoas a se aproximarem e aprenderem mais sobre as outras, mas também encoraja grupos de pessoas a começarem e manterem as conversas após o evento.

4. Avatars and Virtual Networking

Muitas pessoas buscam os outros participantes online e iniciam a conversa ali, para ser mais fácil do que pessoalmente.
Conectar seus participantes através das mídias sociais podem ajudar a reduzir a ansiedade de não conhecer mais ninguém no evento.
Crie um grupo privado no Facebook ou no WhatsApp para ajudar as pessoas a se conhecerem!
Como alternativa, crie um meio onde os convidados podem criar seus próprios perfis e customizar para conversar em um mundo virtual. É uma maneira engraçada para criar laços e trazê-los para o mundo real. Networking em realidade virtual agora é possível!

5. Playing Card Meet-up

Entregue uma carta para cada participante e junte-os em grupos que possuem as mesmas cartas. Dê cinco minutos para eles encontrarem similaridades e compartilharem interesses com o grupo ou completar uma pequena tarefa. Essa é uma ótima maneira para encorajá-los a conhecer novas pessoas e evitar permanecer apenas com quem já se conhece. Para grandes eventos, você pode optar por unir os participantes com as mesmas cartas e também com o mesmo estilo de roupa, senão os grupos ficarão muito grandes.

6. Business Card Collection

Lembre os participantes de levar cartões de visita, mas sem revelá-los o motivo. Quando todos chegarem, dê de 15 a 20 minutos para um rápido networking, com o intuito de circular, conversar com cada um e aprender o máximo que puderem. O participante com o maior número de cartões no final ganha um prêmio.

7. Smart Badges

Como o nome sugere, medalhas inteligentes são tecnologias inteligentes para aumentar o networking. Basicamente, elas usam um app e dispositivos móveis para apontar pessoas com gostos similares ou apresentar pessoas para conversar e notificar caso haja uma pessoa ao redor para conhecer. Esses dispositivos vestíveis ajudam pessoas a evitarem a estranha fase de “andar até um grupo desconhecido” e dão e elas razões para iniciarem uma conversa.

8. Audience Polling

Pode ser muito difícil quebrar o gelo em um evento com um layout estilo teatro, porque não há espaço para circular. Entretanto, você pode abrir e ganhar foco desde o início com algumas perguntas de votação. Faça-as leves, fáceis e relevantes para seu evento e mantenha o tópico, porém não vá muito fundo (você está tentando relaxar seus participantes, não se esqueça!).

9. Toilet Roll Challenge/

Entregue a cada mesa ou pequeno grupo um papel higiênico e peça a cada um para pegar um bocado, sem explicar a razão. Então, peça para contarem o número de quadrados que eles possuem e compartilhar aquela mesma quantidade em informações sobre eles mesmos. Então, se alguém tiver pego 3 pedaços de papel higiênico, precisa dividir 3 fatos sobre ele mesmo com os outros.

10. Personalized Name Tags

Você pode colocar pequenas informações sobre o participantes em seu crachá. Quando preencher os formulários de registro, adicione uma caixa extra que permita-o completar com informações que gerem pontos de interesse para quebrar o gelo. Algumas ideias são:
– Descreva você em 3 palavras;
– Fale sobre…
– Sua qualidade mais interessante;
– Como você gosta do seu café;
– Lugar que mais tem vontade de visitar no mundo
Ou pode optar por fazer uma questão sobre o tema do evento, seu cargo no trabalho ou experiências com eventos (anteriores que possa ter ido).

11. Music Mayhem

Peça aos participantes para compartilhar sua playlist e escolha uma aleatoriamente. Toque um pedaço de algumas músicas, designe espaços na sala para cada música e peça para pessoas irem para os cantos correspondentes das que mais os interessam, descobrindo assim qual a preferida do evento. Essa é uma ótima maneira para as pessoas descobrirem outras com gostos em comum que, inicialmente, podem não perceber.
Você pode separar os grupos dessa forma para as atividades diárias.

12. Human Bingo

Essa ideia é flexível e você pode escalar da maneira que achar melhor em seu evento.
Crie cartas de bingo antes do evento, onde terão características humanas, qualidades ou interesses que eles precisam encontrar e trocar entre si. Alguns exemplos são:
– Pessoas que odeiam espinafre;
– Homem de olho castanho;
– Pessoas que cantam em coro;
– Pessoas que possuem irmão gêmeo;
– Pessoas mais novas que 25 anos;
E o que mais sua criatividade deixar!

Quem encontrar um participante para cada um dos critérios ganha o bingo!
É uma excelente (e ágil) maneira do pessoal interagir e aprender sobre eles.

13. Minute Games

Essas são ideias que você pode tentar utilizar por alguns minutos enquanto espera todos chegarem e se acomodarem. Alguns exemplos são:
– Duas verdades, uma mentira: Como o nome sugere, um participante conta duas verdades e uma mentira e a outra pessoa (ou o público) precisa adivinhar qual é a mentira.
– Ilha deserta: Pergunte sobre 3 itens (ou pessoas) que você levaria para uma ilha deserta com você.
– 3 Perguntas: essencialmente são 21 questões, mas você pode perguntar apenas 3.
São todas perguntas rápidas e fáceis que podem ser jogadas em pares ou em grupos, buscando integração entre os participantes, podendo levar a outras conversas posteriores.

14. One Word Icebreaker

Isso pode ser adaptado para qualquer situação e é um grande tópico de introdução para qualquer tipo de evento. Em pequenos grupos de até 5 pessoas, pergunte a todos para pensar por um minuto uma palavra que descreva X (sendo X qualquer tópico que você quiser). Isso vai render uma variedade de respostas e insights que gerará conversas espontâneas e que pode levar a discussões sobre as escolhas das palavras.

15. Quick Fire Questions

Esse é um jogo leve e engraçado que não custa nada. Peça para seus participantes para encontrarem um parceiro e dê a eles 60 segundos para trocar rápidas perguntas entre si, ou você pode oferecer as perguntas a eles. A ideia é trocar experiências e conhecer uns aos outros.

16. Drawing Snap

Utilizando uma ferramenta online ou algum app de anotações, dê a todos uma categoria e 30~60 segundos para desenhar qualquer coisa dentro da categoria. Quando o time estiver montado, escolha um parceiro com a mesma categoria como um adversário. Você pode expandir isso dando a eles a oportunidade de ter algumas perguntas quebra-gelo e começar a próxima rodada.

17. People Organizer

Esse é uma excelente maneira de ajudar os participantes a encontrar outros com os mesmos gostos, background e hobbies que eles possam estar procurando em um evento de networking.
Faça um grupo e organize-os de acordo com alguns critérios, como por exemplo: cargo, time esportivo, filme favorito, escola, etc. Isso vai levá-los a conversar e interagir automaticamente, já sabendo coisas em comum entre si.

18. Scavenger Hunt

Pra encorajar competições amigáveis, gincanas são uma ótima ideia!
A maioria das pessoas participam e se envolvem, colocando pessoas nos seus times e tendo insights entre si. Se você usar tecnologia em seu evento, pode misturar algumas dicas da premiação utilizando QR Codes e incentivar a exploração.
Trabalhe em times e, dessa forma, beneficie o vínculo criado pelos times formados desde o princípio.

19. Contests

Após separar os participantes em pequenos grupos, faça um desafio de foto/vídeo. Dê 15 minutos para entregarem uma foto interessante e divertida, com um conceito relacionado ao tema do evento, e incentive-os a compartilhar nas mídias sociais. Trabalhar ideias criativas ajuda a quebrar o gelo, ainda mais quando se tem um objetivo em comum!

20. Graffiti Wall

Você pode optar por montar um mural (ou um mural digital, se preferir fazer menos sujeira), o que fará as pessoas inspiradas, criativas e expressivas.
Peça para todos desenhar uma foto ou escrever uma palavra que representa-a. Anexe-a no mural e também pode optar por entregar o trabalho completo como lembrança no fim do evento, como estampa de uma camiseta, numa mochila ou algo semelhante.

Quebrar o gelo nos eventos ajuda todos a relaxarem e terem uma experiência mais agradável. Seus participantes terão mais facilidade para fazer amigos, criar uma comunidade e retornar a futuros eventos, tornando-se mais memorável a eles.

Agora você tem 20 grandes ideias para utilizar em todos os seus eventos!

Lembrando que isso é uma tradução livre, e todos os créditos do artigo são do blog Event Manager Blog.

Bons eventos!

João Rock, o festival de rock do interior

Você provavelmente já ouviu falar sobre o festival de música brasileiro que ocorre todo ano em Ribeirão Preto, certo?
Porém, você sabe como ele surgiu, e por que possui esse nome tão empolgante?
Saca só:

Em 2002, Luit Marquez e Marcelo Rocci deram vida a esse festival, porém a vontade datava de muito antes. Em 1994, o sonho para realizar o evento estava pulsante, porém, para alcançar a proporção esperada, muito planejamento foi necessário.

Cidade Negra no João Rock 2002

O Festival

No começo, o festival pretendia chamar “Rock Brasil”, afirma o gerente de projetos, porém os fundadores optaram pela mudança por dois motivos: já existia um outro com este nome, e para realizar uma homenagem aos “bateras”.  João e John são nomes de bateristas modelos, como João Baroni, do Paralamas; John Densmore, do The Doors; e John Bonham, do Led Zeppelin.

“Sem o baterista uma banda de rock não é nada, então eles resolveram homenagear esse ícone. Além disso, João Rock traduz brasilidade, que vem a calhar com o foco do festival no rock nacional”

O evento se estabeleceu como um festival de inverno, ocorrendo sempre em junho, com exceção de 2008, quando o palco desmoronou durante a montagem. Apenas um artista, Jorge Ben, não conseguiu re-agendar seu show para Julho.

Identidade

O evento é marcado pelas suas misturas musicais. O festival sempre foi para homenagear o rock nacional e seus gêneros parceiros,tais como reggae, hardcore, hip hop e o pop. Porém, a organização do festival abriu espaço para artistas internacionais, tais como Colin Hay, do Men at Work, e a banda neozelandesa Katchafire, buscando diversificar um pouco, e não criar uma nova identidade.

Edição 2016

A última edição foi no último sábado, dia 18. O evento reuniu 50 mil pessoas em 10 horas de show. O encontro entre Paralamas do Sucesso e Nação Zumbi levou o público a loucura!
Confira toda a programação no site: Clique aqui

Hebert Vianna emociona o público na edição de 2016